"O que vale a pena...", de Wendy Lustbader - li e recomendo!


Título: O que vale a pena...
Autor: Wendy Lustbader
Editora: Alegro
ISBN: 8587122-29-0
Páginas: 259

Sinopse:

Você já imaginou se fosse possível fazer um balanço de sua vida - dos erros, dos acertos, das grandes e pequenas lições - antes de a vida ser vivida? Seria como ir ao futuro, verificar o que foi e o que poderia ter sido, voltar ao presente e viver, de outra forma, com mais felicidade, a vida ideal. Pessoas mais velhas acumulam tais experiências - mas nem sempre nos espelhamos nelas, ou seja, nos conselhos dos mais velhos, para traçarmos o destino. O livro - "O que Vale a Pena", da assistente social norte-americana Wendy Lustbader - se propõe a examinar os conhecimentos de pessoas anônimas na casa dos 60 aos 90 anos e nelas se inspirar para dar conselhos e lições de vidas em busca do equilíbrio e da felicidade. O resultado é um livro encantador, como se fossem pílulas de sabedoria com depoimentos colhidos ao longo de 20 anos no trabalho de Wendy em asilos de idosos. A obra soma casos que refletem sobre temas conflitantes da vida como: casamento, amor, ciúme, qualidade de vida, família, trabalho, doença e velhice. Ler este livro significa aprender com experiências de pessoas anônimas que acertaram ou erraram ao longo da vida e, ao final dela, refletem sobre o que foi e o que poderia ter sido. As histórias, narradas na primeira pessoa, com comentários da autora, relatam casos de superação e conquista. Wendy, em seu trabalho por mais de duas décadas em asilos, sempre acreditou que seus pacientes eram pessoas privilegiadas, com muitas histórias para contar. As experiências foram divididas em 11 capítulos sobre a arte de viver bem, tempo, espiritualidade, casamento, estar triste, trabalho, doença, fragilidade, boa conduta, arrependimento e velhice. O conjunto de belas histórias foi extraído de seu extenso diário de trabalho. As mais emocionantes são as de homens e mulheres que, ao final da vida, mantiveram o espírito jovem, cheio de esperança e alegria. Pessoas que apenas ficaram mais velhas - mas preservaram a energia e a alegria de viver. Como conclui a autora: "Acho que você verá, como eu vi, que não há nada mais doce do que poder viver o meio da vida com perspectiva do fim".

Li esse livro há alguns anos atrás, repeti a leitura e repetirei nem sei quantas vezes. Sou assim: amei; repito! ;-)
É um dos livros mais lindos que já li!
Uma leitura que nos dá a oportunidade de aprender com “a sabedoria de quem realmente tem algo a dizer” – imaginem o quanto vale isso!
Cada página equivale à uma lágrima e um aprendizado!
Aliás, tenho uma resenha dele preparada para postar.
Está para ser agendada no meu Cronograma de Postagens deste mês.
Então, comadres e compadres, estejam alertas, ok?
Porém, postarei lá no Meu Doce Lar, pois estou trabalhando para retomar minhas postagens de resenhas, tá?
Espero que tenham gostado da sugestão!
Boa leitura!!!

E vocês, me contem: qual livro que leram e mais amaram???

Me coloco à disposição de sugestões para postagens, esclarecimentos de dúvidas e etc. Basta enviarem um e-mail para: karin.filgueira@yahoo.com.br
Bjs!
E que vocês tenham uma abençoada semana!

"Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras." (Hb10.24)

Obrigada pela visita e sejam sempre muito bem vindas(os)!


13 comentários:

  1. sempre é bom fazer um balanço de nossas vidas
    amei

    `⋎´✫✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫
    ✫¸.•°*”˜”*°•.✫“Nanda
    beijokas
    Maravilhosa Noite
    Sendo a mãe da Isa e da Gabi
    Google+Nanda

    ResponderExcluir
  2. Bom dia

    Não conhecia o livro...Mas gostei muito do que li aqui. Obrigada.

    Beijos´

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Parece bem legal! Boa dica! beijos,chica

    ResponderExcluir
  4. Li, tenho e amei! O que me surpreendeu nele, é que a mensagem principal, é vivermos o melhor possível para que, ao chegarmos na idade avançada, possamos ter boas coisas para lembrar, pois na verdade, é quase tudo o que teremos. Sem boas lembranças, estaremos nus.

    ResponderExcluir
  5. Parece muito bom amiga, obg pela dica, bjs boa quarta :)

    http://futuramommy.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu amo ler, fiquei curiosa com esse livro!
    Esta tendo um bazar de livros la no blog, vem conferir:

    http://nandaaflordapele.blogspot.com.br/2014/05/bazar-de-livros-usados.html

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia o livro, adoro ler é bom demais.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde karin.. minha avó faleceu com 88 anos era tri esperta e zombava de mim ainda srsr.. a pessoa em determinada idade perde o peso dos longos anos.. sabe os caminhos para não passar o que nós mais novos passamos e achamos que o mundo cai na nossa cabeça.. tudo que passo hj estou colocando em versos que futuramente serão modificáveis pq até lá já passarei pelo conhecimento e buscarei sabedoria.. bjs e um lindo dia

    ResponderExcluir
  9. Karin,
    Que livro fascinante! Vou procurá -lo. Imagine se os idosos tivessem blogs, quanta experiência, hein?
    Beijo, menina

    ResponderExcluir
  10. Deve ser realmente bom ler esse este livro, leio pouco, mais to aprendendo a ter o gosto pela leitura só por estas postagens e dicas que vcs tem dado !
    Bjinhos

    mamaenathan.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia o livro, gostei da indicação
    Beijos
    http://segredosdacahlima.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia esse livro, mas fiquei com vontade de ler!
    Beijo
    Letícia

    ResponderExcluir
  13. Gostei muito da sugestão que agradeço.
    Afinal não vimos com Manual de Instruções,pelo que é primordial ouvir os conselhos de quem já passou por tudo!
    O último livro que li e de que muito gostei chama-se «O Chão dos sentidos» e interessa particularmente a portugueses,(ou quem sabe a brasileiros desejosos de saberem mais sobre este «rectângulo»). É da autoria de Manuel Bragança dos Santos e explica«como a Democracia foi germinando, ao longo do regime salazarista, também no seio diletante de uma família nortenha da burguesia rural, onde perpassam contradições que não chegam para comprometer a construção da Liberdade- 25 de abril de 1974» Recomendo!
    Obrigada.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderExcluir

Que bom que você veio, fique à vontade!
Seu comentário é muito importante para mim!
Deixe seu link para que eu possa retribuir sua visita.
Se me seguir ou linkar, me avise! Gentileza gera gentileza.
Beijo carinhoso.



.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Femme Digital - 2016. Todos os direitos reservados.
Personalizado por: Regiane Leite - Programação - Emporium Digital-.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo